Notícias

Doe medicamentos sem uso para o Banco de Remédios no feriado de 2 de novembro, em São Paulo

Data: 01/11/2016 15:17

Por Redação TN/ Assessoria

O Banco de Remédios, associação de ajuda humanitária que atua há mais de 10 anos no Rio Grande do Sul, ampliou sua atuação para a cidade de São Paulo, onde organizará um ponto de coleta itinerante de medicamentos para doação no Parque do Ibirapuera, na próxima quarta-feira, 2 de novembro. O posto se localizará no portão 3 do parque, em frente ao prédio da Bienal.

 

Das 10h às 17h, o público poderá entregar qualquer remédio dentro da validade que tiver em casa e estiver sem uso, para colaborar com a campanha. “É uma iniciativa pioneira e muito importante para São Paulo, onde milhares de pacientes enfrentam dificuldades para comprar remédios”, comenta a advogada especializada em Saúde, Dra. Claudia Nakano, porta-voz do projeto em São Paulo e Presidente da Comissão de Saúde Pública e Suplementar da OAB/SP – Subseção de Santana/SP.

 

A coleta na cidade de São Paulo teve início no final de outubro, com um ponto de coleta na OAB/SP Subseção de Santana/SP. Nessa segunda etapa, a coleta será expandida através de pontos itinerantes em locais públicos.

 

Código especial para doações pelos Correios – Além dos pontos físicos de coleta, também há a opção de fazer a doação de remédios via Correios. O Banco de Remédios acaba de fechar uma parceria com os Correios, através da qual será possível doar medicamentos de alto custo (valor acima de R$ 560,00) sem custo de envio. Para isso, é necessário entrar em contato com o Banco de Remédios, que fornece ao interessado um código, com o qual o doador pode ir até a agência mais próxima dos Correios e fazer a doação e envio gratuito.

 

Outra facilidade oferecida pelo Banco de Remédios é em relação aos pacientes que entraram com ação judicial e possuem medicamentos que não utilizam mais. Geralmente nesses casos a Justiça exige a devolução dos remédios à Secretaria de Saúde, mas por lei esses não são aceitos, por isso muitos medicamentos ficam sobrando. Para esses casos, a entidade fornece um termo para que o indivíduo dê baixa na ação judicial, possibilitando que a doação seja feita sem prejudicar o processo judicial.

 

Banco de Remédios

O Banco de Remédios é uma instituição de ajuda humanitária, autônoma, privada e sem vínculos governamentais ou partidários, mantida única e exclusivamente pelos seus associados. O serviço visa oferecer uma alternativa aos pacientes que precisam de medicamentos, mas não tem recursos financeiros para adquiri-los. Hoje, a entidade já atende mais de 3.000 usuários cadastrados, e que se beneficiam deste serviço. Para poder receber remédios na entidade, é necessário que o interessado se associe, apresente receita médica, cadastre-se na associação e contribua com a entidade mensalmente com R$ 40,00, que serve para sustentabilidade da organização.

 

A formação dos estoques, classificação, verificação do conteúdo e do prazo de validade são feitos por profissionais colaboradores das áreas médica, farmacêutica, sociólogos, administradores, advogados, publicitários, entre outros. O estoque inclui mais de 7.000 medicamentos dos mais variados tipos, desde analgésicos e pílulas anticoncepcionais até medicamentos para doenças crônicas, como renais, cardíacas, autoimunes, câncer e diabetes.

 

A entidade foi criada por Damásio Macmillan, 64, que tomou a iniciativa após passar por um transplante de rim há alguns anos e enfrentar dificuldades para conseguir medicamentos caros. Depois de passar pelo transplante, ele notou que muitos pacientes como ele deixavam sobrar comprimidos nas cartelas e que ainda estavam em boas condições de uso.

 

A partir daí, passou a reunir as sobras de medicamentos, como uma farmácia informal gratuita. Foi daí que surgiu o Banco de Remédios. “O principal objetivo do banco, além de ajudar quem precisa de tratamento médico, é evitar o desperdício de medicamentos”, explica o fundador e presidente. “O prazo para a entrega do remédio solicitado é de 3 (três) dias úteis a partir do pedido, contanto que o Banco tenha o mesmo em condições ideais de utilização. Como temos usuários espalhados por todos o país, o medicamento é enviado pelo Correio”, diz Damaso.

 

Outras formas de doar ao Banco de Remédios:

Através dos Correios via Caixa Postal:
Banco de Remédios – Caixa Postal 11520 – Porto Alegre – RS – CEP 90870-001

Através das ações sociais itinerantes OAB – 125ª Subseção de Santana/SP:
Rua Victório Primon, 372 – Casa Verde – São Paulo – SP – CEP 02550-050 
Telefone: (11) 3966-0619 / (11) 3857.2298
E-mail: santana@oabsp.org.br

Comissão da Saúde Pública e Suplementar OAB – 125ª Subseção de Santana/SP:
Rua Duarte de Azevedo, 284, Conj. 83 – Santana – São Paulo – SP – CEP 02036-021

Através do Banco de Remédios Associação de Ajuda Humanitária Saúde Sem Fronteiras
Rua Siqueira Campos, 1184 – cj. 510 – Centro Histórico – Porto Alegre (RS) – CEP 90010-001
Telefone: (51) 3026-7552

Sobre a Dra. Claudia Nakano – Advogada especializada no Direito à Saúde, Claudia Nakano é Presidente da Comissão de Saúde Pública e Suplementar da OAB subseção de Santana/SP e membro das Comissões de Direito do Consumidor, Saúde, Planos de Saúde e Odontológico da OAB, subseção de Santana/SP. Sócia e fundadora do escritório Nakano Advogados Associados, é pós-graduada em Direito Civil e Processual Civil e em Direito Médico, Hospitalar e Odontológico pela EPD – Escola Paulista de Direito.

 





Printer Versão para impressão
Rss_old RSS
Newspaper_link Assine a newsletter
User Envie para um amigo



Notícias relacionadas



Caderno de Sustentabilidade



Caderno de Sustentabilidade

Download

Twitter-logo Siga no Twitter!

Facebook_icon Siga no Facebook!

Busca:









Parceiros