Logo

Revista Brasileira de Tecnologia e Negócios de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Indústria do Plástico

Agora é oficial: SP entra na geração eólica

Data: 05/10/2017 17:17

Com investimento de R$ 8,3 milhões, três unidades entraram em operação no mês passado, somando uma capacidade de geração de até 620 megawatts-hora (MWh), suficiente para abastecer as cinco centenas de casas citadas acima, considerando um consumo médio de 100 quilowatt-hora (kWh). Todos os aerogeradores estão instalados na usina Engenheiro Sérgio Motta, também conhecida como Porto Primavera, em Rosana, interior do estado.

“O início da produção de energia elétrica por meio dos ventos é um marco para São Paulo, que comprova seu potencial e viabilidade econômica para adotar o uso da geração de energia eólica em sua matriz energética”, explica o secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles. Segundo ele, a energia elétrica produzida pelos aerogeradores será utilizada no consumo interno da usina Porto Primavera.

As torres adotadas possuem 30 metros de altura e pás de 10 metros de comprimento e fazem parte de um projeto mais amplo de pesquisa a respeito da complementaridade entre fontes solar, eólica e hidráulica. O projeto possui 54 meses de duração e sua conclusão está prevista para agosto de 2018 com um custo total de R$ 31 milhões.

Nesse valor estão incluídos o projeto de pesquisa, compra dos equipamentos, instalação e manutenção. Além das usinas solares e eólicas estão em funcionamento uma estação solarimétrica e uma estação anemométrica que completam o projeto de P&D.

A Cesp, dona da usina onde estão os aerogeradores, conta com a parceria no projeto eólico da USP/Fusp, Fepisa, MRTS Consultoria e MFAP Consultoria Elétrica e Comércio, além dos fornecedores e montadores RTB Energias Renováveis, BASE Energia Sustentável e PVSOLAR Energia e Meio Ambiente.

www.tnpetroleo.com.br